Segurança Gás Natural Veicular

Procedimentos obrigatórios de segurança a serem seguidos ao converter o veículo para uso de GNV:
1 – Cuidados com o Cilindro
Os cilindros devem ser sempre de aço próprio para GNV (NBR 12790 ou ISO 4705) e devem ser fixados com suportes adequados.
Não permita, jamais, soldas nos cilindros, pois este será um ponto sem resistência e um provável de ruptura ou vazamento do combustível.
2 – Cuidados com a Conversão
Só converta seu carro em oficina homologada pelo INMETRO.
Exija a nota fiscal de conversão e o Certificado de Homologação do
INMETRO, para fazer o registro da conversão no DETRAN.
Execute as revisões periódicas do kit e cilindros velho, recondicionado ou de procedência desconhecida ou tubos de aço.
Na instalação, exija tubos de aço sem costura.
3 – Cuidados Gerais
a) Todos os serviços a serem feitos no kit e cilindros de gás natural deverão ser sempre feitos por oficina homologada pelo INMETRO.
b) Não tente você mesmo consertar os pequenos defeitos. Procure a sua convertedora.
c) Não confunda nunca o Gás Natural Veicular (GNV) com o gás de cozinha (GLP).
d) Seja você um fiscal do Programa do GNV, denunciando os clandestinos, para preservar a segurança de todos.
e) Não rode com qualquer tipo de vazamento. Assim que notar algo suspeito, procure a assistência técnica.
f) Não permita que curiosos mexam na regulagem do seu carro.
g) Em caso de mau funcionamento, verifique se o filtro de ar, as velas ou qualquer outra parte da ignição não estão sujos.


Procedimentos de segurança obrigatórios a serem observados ao abastcer o veículo com GNV:
1 – É expressamente proibida a utilização de cilindros clandestinos (botijão de gás de cozinha, ar comprimido, oxigênio, dentre outros) em veículos abastecidos de GNV;
2 – É proibido o abastecimento por pessoas não autorizadas;
3 – É proibido o abastecimento por pessoas não treinadas;
4 – No abastecimento: desligar faróis, rádio, celular e o motor do veículo;
5 – É proibido fumar;
6 – Ao abastecer todos os ocupantes devem descer do veículo;
7 – O aterramento elétrico é condição indispensável para o início do abastecimento pelo frentista;
8 – Pressão de abastecimento: Não deve, nunca, ultrapassar 220 Kgf/cm². Se você ouvir falar de algum posto abastecendo com uma pressão maior que esta, cuidado. Evite o local e alerte seus colegas quanto ao risco.
9 – Seu kit e cilindros são dimensionados para 220 Kgf/cm² de pressão. Acima disso, pode causar vazamentos no sistema, diminuindo a vida útil do seu equipamento e correndo o risco de provocar acidente;
10 – Freie o seu veículo;
11 – Certifique-se de que a mangueira de abastecimento de GNV foi desconectada antes de colocar o veículo em movimento (principalmente os veículos cujo abastecimento é traseiro).

Fonte: Petrobrás